DAMEN Magazine #5

Novas oportunidades

Published in category: Publications in Portuguese

¡VAMOS!, um projeto europeu de P&D cuja meta é explorar o potencial de minerais não explorados de forma ambientalmente amigável

Dragagem e mineração: os dois setores compartilham uma longa história conjunta. ¡VAMOS! O projeto é um exemplo de como os dois setores mantém sua trajetória de cooperação ativa – desta vez para obter acesso a recursos minerais abandonados na Europa.
Stef_Kapusniak_Business_Development_Manager_Mining_Soil_Machine_Dynamics
Stef Kapusniak
A gerente de desenvolvimento comercial em mineração
Machine Dynamics (SMD)

 

 

“Temos a oportunidade aqui de habilitar o acesso a reservas minerais de alta qualidade que a mineração convencional não foi capaz de explorar. Economicamente falando, a mineração convencional não teve acesso a essas reservas” – disse a gerente de desenvolvimento comercial em mineração da Machine Dynamics (SMD), Stef Kapusniak. Tendo em mente a importância dessas reservas, a contribuição que o ¡VAMOS! pode proporcionar à indústria da mineração é significativa – disse ela. “Em termos de recursos minerais, a Europa consome muito mais do que produz. E boa parte de nossa indústria depende de fornecimento estratégico. Este projeto almeja a redução dos riscos e da dependência estratégicos.”

Uma oportunidade de limpeza

Uma das principais questões que o ¡VAMOS! pretende abordar é a reabertura de minas abandonadas. “Podemos considerar que, quando a extração nessas reservas se torna economicamente inviável, o processo de mineração se encerra e, em geral, a mina é inundada. Nem todas essas minas abandonadas são reabilitadas, e muitas delas ainda contêm minérios com alto teor.” Em sua função de gestão técnica, a SMD assume as fases de testes, projeto e construção. A empresa também se responsabiliza pela fabricação do protótipo de mineração. “Podemos minerar uma parte dos recursos – mas não sua totalidade – utilizando equipamento robótico suspenso e flutuante. Somos capazes de bombear o material para fora da mina, na forma de polpa dragada, extrair o minério e devolver a água para o poço de origem.”

O Dr. Kapusniak prossegue, destacando alguns benefícios ambientais que o ¡VAMOS! apresenta em relação à mineração convencional. “Determinadas jazidas de minério apresentam algumas vantagens. O desaguamento da área não é necessário; na verdade, utilizamos o lençol freático. Se considerarmos o estado de algumas das minas abandonadas pela Europa, trata-se de uma oportunidade de eliminar alguns riscos ambientais. Como o desaguamento e descargas de água das minas não são necessários, a técnica também se aplica à mineração de jazidas de minério hidrologicamente complexas, que já foram menosprezadas anteriormente. A ausência de ruídos de detonações, vibrações, fumaça e poeira permite que reservas anteriormente classificadas em zonas protegidas se tornem potencialmente disponíveis para a mineração.”

Do ponto de vista logístico, o projeto prevê o transporte direto, sem interrupções. “Todos os componentes se enquadram aos caminhões europeus padrão. Desta forma, é preciso menos investimento em infraestrutura. É possível aproveitar o projeto de uma mina em outras.”

Movimentação offshore

“Com o ¡VAMOS!, a infraestrutura é o próprio cargueiro” – cita Boskalis, gerente geral corporativo de pesquisa e desenvolvimento da Sander Steenbrink.
Sander_Steenbrink_General_Manager_Corporate_R&D¬_Boskalis
Sander Steenbrink
Gerente geral corporativo de pesquisa e desenvolvimento
Boskalis

 

 

“Ao final de um projeto, a infraestrutura – o cargueiro – se desloca de uma mina para a próxima. Isto não é possível em projetos de mineração tradicional com instalações fixas no terreno.” Considerando essa experiência e os respectivos estudos sobre o tema de mineração marítima, com o passar dos anos – desde os anos 70, na verdade – Boskalis é o profissional indicado para essa função de assessoria no ¡VAMOS!. “Não somos fabricantes de equipamentos, porém, dada a nossa experiência operacional, compreendemos inteiramente as funções e características necessárias para os equipamentos. Fazemos perguntas sobre os problemas que podem ser encontrados na prática, ou sobre questões que afetem a produtividade das ferramentas. Este é um conceito que pode se aplicar a diversas áreas diferentes. Por exemplo, minas abandonadas ou inundadas, ou localizadas em águas costeiras ou em alto-mar.” Embora tenha-se dedicado maior atenção às atividades em terra do projeto, os parceiros do projeto também perceberam o potencial de expandir as operações ao alto-mar. “O interesse pela mineração em alto-mar foi revisto nos últimos 10 anos. Isto ocorreu devido ao volume limitado e às baixas concentrações dos materiais em terra, além dos problemas associados à mineração terrestre” – prosseguiu Steenbrink. “Considerando que o desnível entre as águas rasas e as águas profundas não é muito expressivo – as duas áreas de fato apresentam os mesmos desafios – a mineração marítima apresenta vantagens significativas em relação à mineração terrestre.”

Dependência mútua

O projeto ¡VAMOS! é diversificado: conta com 17 parceiros de 9 países diferentes. Essa diversidade deu origem a um conjunto característico de desafios – disse o Sr. Steenbrink: “Trata-se de uma combinação de diversos componentes em um único sistema. E é aqui que a especialização da SMD entra em cena: são especialistas na fabricação desse tipo de equipamento, com a experiência necessária em projetos.”

Outros aspectos desafiadores derivam dos métodos utilizados pela comunidade científica para abordar um problema, diferentes daqueles utilizados pelos parceiros comerciais – conta o Dr. Kapusniak. “São diversas facetas científicas e de engenharia envolvidas; algumas delas consagradas e outras realmente ultrapassando limites. E há também as barreiras idiomáticas entre os nove países participantes. Todos aprenderam um pouco de algum idioma estrangeiro, à medida que o projeto avançava.” Entretanto, esses desafios são os principais fatores que levam à cooperação. “Nenhum dos parceiros seria capaz de fazer tudo sozinho – ninguém é especialista em todos os assuntos – então, é uma questão de dependência mútua” – disse ele. “Queremos fazer do projeto um sucesso e vamos cooperar para atingirmos essa meta.”

A arte da dragagem

O Sr. Steenbrink expande o conceito de colaboração: “Existe uma mentalidade compartilhada. Qualquer que seja o desafio técnico, acreditamos que existe uma solução para ele. A ‘arte’ em questão é desenvolver uma solução economicamente viável.” E este é o ponto central da questão: como insumos de diversas partes – tanto industriais quanto acadêmicas – nos setores de mineração e dragagem podem ser reunidos para se criar um produto tecnicamente exequível e financeiramente viável.

¡VAMOS! – Contribuições da Damen

Access_abandoned_mineral_with_VAMOS_technique

O papel da Damen no ¡VAMOS! se baseia no seu know-how em dragagem e construção naval. Um equipamento de dragagem está sendo construído e será fornecido pela Damen Dredging Equipment. O veículo de mineração da SMD será mobilizado a partir de uma plataforma de lançamento e recuperação da Damen, instalada em plataformas flutuantes moduladas padrão. Essas plataformas são construídas em módulos do tamanho de contêineres, que podem ser conectados ao sistema Damen Link. “Esse sistema modulado é muito flexível” – segundo o diretor de construções civis e moduladas da Damen, Marcel Karsijns. “A principal vantagem é que você pode transportar os componentes do projeto em rodovias, ferrovias ou hidrovias. Com isto, o transporte dos equipamentos até uma mina abandonada em local remoto é agilizado consideravelmente.” É o mesmo conceito que a Damen usa em suas soluções com bombas DOP para a dragagem de reservatórios diretamente a montante de barragens hidrelétricas.

¡VAMOS! – Informações complementares

Viable_Alternative_Mine_Operating_System_VAMOS

A Europa tem explorados seus recursos minerais ativamente por séculos e muitas jazidas de fácil acesso já se exauriram, embora jazidas mais profundas ainda não tenham sido totalmente exploradas. Também há oportunidades em minas abandonadas e inundadas, depósitos com baixo teor de minério em que operações de grande porte não seriam viáveis. A água e deixada na mina e os equipamentos são operados remotamente, mesmo submersos.

Parte do programa Horizon 2020, o ¡VAMOS! é um projeto de pesquisa e desenvolvimento que investiga a exploração e reabilitação de minas subexploradas e abandonadas na Europa. A meta do projeto é assegurar o fornecimento sustentável de matérias-primas e ações inovadoras envolvendo a mineração automatizada, a mineração de jazidas de pequeno porte e a mineração alternativa. É financeiramente importante: estimativas indicam que o valor dos minerais não explorados entre 500 e 1000 metros de profundidade na Europa é de cerca de €100 bilhões.

back to top