DAMEN Magazine #5

Estação de bombeamento personalizada para o Porto de Hamburgo

Published in category: Publications in Portuguese
Share:

Poucos portos têm tanta experiência quanto o da cidade de Hamburg quando o assunto é dragagem. O porto localiza-se a 110 km da costa, às margens do Rio Elbe, uma das maiores hidrovias da Europa, drenando cerca de 150,00 km2 de massa de solo para o Mar do Norte. Os sedimentos resultantes, provenientes da terra firme, significam que a dragagem é uma necessidade há muito tempo, e a dragagem mecânica tem sido feita em Hamburgo desde 1834.

Atualmente, essa responsabilidade é da Autoridade Portuária de Hamburgo (Hamburg Port Authority – HPA), um órgão que se orgulha em oferecer a gestão orientada ao futuro a partir de uma única fonte. No moderno porto local, cerca de 90% da dragagem é feita por dragas auto transportadoras, com o apoio de uma estação de bombeamento exclusiva, com função importante na batalha sem-fim contra os sedimentos e sua deposição. Jens Bald, gerente de projetos da HPA, é quem conta a história.

Desenvolvimento em cima de um longo histórico

“A HPA mantém uma plataforma flutuante de bombeamento em operação no porto desde 1905. Sua função: receber sedimentos da HPA e de balsas privadas, e bombeá-los para as margens, para tratamento e descarte. Nos últimos anos, a Sauger III, construída em 1905, começou a apresentar os sintomas de sua idade avançada e decidiu-se substituí-la. O contrato foi oferecido em processo de licitação na Europa e dez estaleiros demonstraram interesse. Esse número foi reduzido a uma lista aprovada de quatro estaleiros e o contrato foi finalmente adjudicado à Damen em dezembro de 2014. O que torna a estação de bombeamento tão especial é que é a única instalação no porto de Hamburgo capaz de bombear os sedimentos dragados para as margens.

“A estação é essencialmente uma plataforma flutuante equipada com um equipamento sofisticado de bombeamento, capaz de movimentar grandes volumes de sedimentos, contando também com alojamento para a tripulação. O equipamento principal consiste de duas bombas, cada qual ligada a um braço do convés. Um deles extrai o silte das balsas que atracam nas laterais para descarregamento e em seguida bombeia-o para a margem, utilizando um duto flutuante de 1000 metros. A segunda combinação bomba/braço acrescenta água à lama para mantê-la em estado de liquefação. Os sedimentos são limpos ao passar pela estação de bombeamento.”

A HPA é muito consciente em relação a suas responsabilidades com o meio ambiente e é pioneira no manuseio de material dragado. Uma vez na margem, um novo tratamento ocorre na usina da METHA, de propriedade da HPA. A METHA foi a primeira usina de grande porte para processamento de sedimentos a processar mecanicamente sedimentos dragados do porto. Ela separa e drena o silte poluído da areia. A areia pode então ser utilizada como material de construção, e o silte é processado e utilizado como material para embalagens ou depositado no meio ambiente de forma segura.

Desenvolvimento futuro, mas de olho no passado

“Nossas especificações para as novas plataformas, também conhecidas como Sauger III, são muito precisas” – afirma o Sr. Bald. “Queríamos ter certeza de que a nova construção aproveitaria toda a experiência adquirida nas plataformas anteriores, há 100 anos, de forma que diversos componentes-chaves foram projetados utilizando as plantas da Sauger III. Em particular, a bomba de alimentação foi construída com os mesmos planos utilizados anteriormente, a fim de facilitar a manutenção. A nova plataforma também tem as mesmas dimensões de sua predecessora, de forma que possa ser instalada no berço existente.

“Um dos motivos para optarmos pela Damen foi sua extensa experiência na construção de dragas de sucção por corte e auto transportadoras, como as do CSD Amoras – concluiu o Sr. Bald. “Este é um setor que a empresa realmente domina. Com a vida operacional esperada da plataforma de pelo menos 40 anos, a qualidade foi outro fator-chave. O projeto foi inteiramente programado para execução em 24 meses, a partir de novembro de 2014. A construção em si levou 15 meses nos estaleiros da Damen em Hardinxveld, seguida do comissionamento, tendo a Sauger III entrado em operação no Elbe apenas recentemente. Atualmente, estamos avaliando seu desempenho e temos total confiança de que atingirá o desempenho esperado.”

back to top